Inscreva-se para receber novidades em seu E-mail

A arte de apresentar e vender seus projetos #2

Eduardo Lourenço

21 anos, co-fundador do MOVA design, técnico em comunicação visual, formado em design gráfico, metódico, racional e curioso. Um pseudo-músico, pseudo-nerd, e atualmente amante do Marketing Digital. Mova-se!

Não importa o quão lindo seja o projeto que você acabou de desenvolver, o quanto ele atinja aos objetivos determinados e como o seu cliente confia no seu potencial, se você vacilar na hora de apresentar todo o esforço terá sido em vão.

Nós do mova já apresentamos algumas dicas de como você deve apresentar seus projetos no primeiro post clique aqui para ler, sobre a arte de apresentar e vender seus projetos. Nesse, daremos continuidade nessa tal arte de encantar serpentes e finalizar com chave de ouro o “jobzinho rápido” que você acabou de desenvolver.

capa_a arte de vender

Corte o feedback de última hora

Se o cliente for dar algum feedback de última hora e você perceber que ele está se estendendo falando de sua vózinha que tem frieiras e acaba distorcendo totalmente o assunto da reunião, corte-o, com educação é claro, mas corte-o. O feedback de última hora tem obrigatoriamente de ser rápido, com frases curtas e objetivas.

 

Determine o tempo de cada etapa

Se o projeto tiver “fases” que você tem que apresentar, determine mentalmente um tempo para apresentar cada parte. Exemplo: Se a reunião dura uma hora, e são 4 partes do projeto você terá 15 minutos para explicar cada uma delas, podendo uma ter 20 minutos e a outra 10, mas determinar o tempo para cada fase é importante porque você não terminará nem antes nem depois do tempo combinado. Importante, nunca esqueça do tempo para a conversa final (próximo ponto que abordaremos).

 

Conversa final

Lembre-se de SEMPRE reservar os minutos finais da reunião para a última conversa, onde você retoma todos os feedbacks e observações que o seu cliente apontou, discute com ele se todos são realmente necessários manter e determina os próximos passos, quais serão os dias das próximas reuniões, os horários, se haverá outros encontros e assim por diante. Lembrando que para os feedbacks deve-se ter uma pessoa específica para eles, que não deve ser você que apresenta. Lógico.

 

Descreva o trabalho contextualizando nos objetivos do usuário

Não adianta simplesmente apresentar o layout e dizer “esse é o campo de busca”, (até porque já aprendemos que não se deve narrar o layout.) você tem de contextualizar na experiência do usuário. O projeto não está tratando de um preenchimento de tela, ele trata de resolução de problemas e, portanto, o mesmo deve refletir isso. Conte a história de como o projeto resolve o seu problema.

 

Uma má apresentação de um projeto de design é como ir em um primeiro encontro sem voz, dando a desculpa que está se recuperando de um resfriado, e tentando disfarçar o bafo de cebola que comeu no almoço. Você não se preparou e isso é indispensável. Já uma boa apresentação de um projeto de design é como ir em um primeiro encontro confiante, com as energias recarregadas, vestindo aquela roupa descolada e tendo certeza que a noite está ganha. Você se preparou para aquilo, todo o conteúdo está fluindo mentalmente na sua mente, e no primeiro momento que você falar, sabe que irá conquistar o público, afinal, design é isso, resolução de problemas, e o problema que você está enfrentando agora, é apresentar todo o seu fabuloso projeto.

Por fim, seja claro. Aprenda a falar sobre design. Se você vai acabar com a fome na África com seu projeto, convença a todos na sala que isso é indiscutível, que o projeto não terá outro rumo a não ser cumprir seus objetivos. E pelo amor de Deus, vista-se direito, pelo menos na primeira reunião né?!

 

É isso ai raça! Curta, compartilhe, comente, tire sua dúvida, imprima o post, sei lá, faça algo, nós do MOVA ficaremos felizes com sua interação!
Até a próxima, grande abraço, PAZ!

Referências: mediumpost 1, post 2.

Gostou do que leu?

Cadastre-se para receber novos conteúdos do Blog!


21 anos, co-fundador do MOVA design, técnico em comunicação visual, formado em design gráfico, metódico, racional e curioso. Um pseudo-músico, pseudo-nerd, e atualmente amante do Marketing Digital. Mova-se!

© 2016 Mova Design. Todos os Direitos Reservados.

Top