Inscreva-se para receber novidades em seu E-mail

Qual seu método? Metodologia no Design

Eduardo Lourenço

21 anos, co-fundador do MOVA design, técnico em comunicação visual, formado em design gráfico, metódico, racional e curioso. Um pseudo-músico, pseudo-nerd, e atualmente amante do Marketing Digital. Mova-se!

Interna metodologia

Olá! Prontos para conhecerem um pouco mais sobre metodologia?

Você sabe qual a diferença entre método e metodologia? E sabe que existem métodos e metodologias específicas para todas as áreas do design? Muitas vezes observo pessoas utilizando as palavras “Método” e “Metodologia” como se fosse sinônimos, porém, não são! Vejo também que pessoas perdem um pouco do seu precioso tempo utilizando metodologias que não são específicas para o seu projeto, e isso além de ser desconfortável causa raiva (sim sei muito bem disso). Neste post você irá aprender a diferença entre as duas palavras e também alguns dos métodos de design! Aproveite a leitura.

Se você não sabe a origem do método, recomendo que leia o primeiro post da série sobre metodologia, foi na publicação de um grande filósofo a primeira aparição do método.

Bom o departamento de Artes & Design da PUC no Rio de Janeiro publicou que:

Metodologia é o estudo dos métodos e especialmente dos métodos da ciência, enquanto método é o modo de proceder, a maneira de agir, o meio propriamente. Assim, metodologia é a ciência integrada dos métodos.Stefan Schimenes

Resumidamente, metodologia está acima do método, como qualquer ciência, a metodologia estuda todos os outros métodos. Já o método são as etapas que algo ou alguém cria para se atingir um objetivo.

 

Existem métodos para as diferentes áreas da sociedade, seja setores pertencentes as áreas das ciências exatas, humanas ou biológicas, todas possuem métodos. Trataremos aqui de uma das diversas e fascinantes áreas das humanas, o Design! (simmm nós pertencemos a área das ciências humanas!)

De acordo com Martins e Merino em sua publicação de 2008, para a realização de projetos de design, seja ele gráfico, de produto ou de superfície, é necessário criar ou estabelecer métodos de projeto para conseguir atingir resultados eficientes. Ou seja, todas as áreas do design possuem métodos e iremos discutir aqui os métodos pertencentes a área do design em geral, para os próximos posts da série focaremos nossas discussões em áreas específicas, mas hoje será um apanhado geral!

Antes de entrarmos propriamente nos métodos é importante ressaltar que, pelo fato de todos os métodos terem as partes básicas do método apresentado por Descartes (se não leu ainda, leia o primeiro post), a grande maioria dos métodos de design podem ser aplicados em qualquer área, mesmo que ele não tenha sido criado para aquela área especifica é possível aplica-lo e utilizá-lo, porém, não utilizar a metodologia correta pode alterar o resultado do objetivo e ainda torna-lo menos eficaz. Fique atento e utilize o método correto em seus projetos!

Vamos ao que interessa de uma vez!

Uhul Metodlogia

 

 

 

 

Acredito que uma das metodologias mais conhecidas seja a de Bruno Munari, pertencente a área de metodologia projetual em design. Lembre-se: metodologia projetual em design não é a mesma coisa que metodologia projetual em design gráfico. A metodologia projetual é algo que pode ser aplicada em tudo, a projetual em design em áreas do design, e as projetuais em design gráfico nas áreas de design gráfico.

Munari divide sua metodologia projetual em partes para que o designer entenda melhor todo o fluxo de trabalho. Seu método denominado de “Arroz Verde” inicia com a definição do problema para assim definir seu objetivo, em sequência, divide o problema em partes para facilitar sua resolução e chegar à solução final. Em seu método são abordadas 11 fases: problema, definição do problema, componentes do problema, coleta de dados, análise de dados, criatividade, materiais e tecnologia, experimentação, modelo, verificação e solução. Conforme apresenta a imagem abaixo.

Metodologia de Bruno Munari - Arroz Verde
Metodologia de Bruno Munari – Arroz Verde

Sua metodologia pode ser usada para diferentes áreas do design, como: projeto de produto, design gráfico ou design de interação.

Já para as áreas do Design de produto temos o bom e velho Bernard Lobach com sua metodologia apresentada em 2001. Lobach descreve em seu método as etapas a serem percorridas para encontrar soluções para produtos inovadores e ainda afirma que todo processo de design é um processo criativo e de solução de problema.

O mestre, apresenta quatro requisitos para se chegar ao melhor resultado. Primeiramente, deve-se definir o problema a ser explorado; posterior a isso, coletar as informações relacionadas ao problema para então chegar ao terceiro passo de desenvolvimento de alternativas/soluções e, por fim, a análise dessas alternativas para transformá-las em um novo produto.

­­­­­­Lobach descreve que tais etapas em sua metodologia são apresentadas em quatro principais fases, cada uma possui suas análises individuais, ferramentas de pesquisa e desdobramentos relacionados ao seu contexto.

Metodologia Bernd Lobach
Metodologia Bernd Lobach

 

E por fim o método pertencente a área de design gráfico de Chamma e Pastorelo, publicado em 2007, considera quatro fases como as fundamentais para o desenvolvimento de projetos: diagnóstico, cenários, design e implantação. Os autores (sim são dois autores) discutem a respeito da divisão das fases que é feita mais para uma proposta didática do que prática, pois para eles projetos não possuem uma linearidade.

Para a primeira etapa de seu método denominada como diagnóstico, é feito o levantamento de dados relacionados a tudo o que envolve o projeto, como os concorrentes e informações da empresa ou produto em questão. Já a etapa de cenário consiste na definição de conceitos e no desenvolvimento de alternativas possíveis para a solução do problema final.

Na fase de design, é feito o desenvolvimento do projeto em si, definem-se as características principais necessárias e adquire-se a forma. E por fim, na implantação são feitas as aplicações e protótipos do projeto, como demonstra a imagem abaixo.

Metodologia Chamma e Pastorello
Metodologia Chamma e Pastorello

 

Perceba que para cada área ou subcategoria dos métodos, existe um método específico, isso para que como falado acima, os resultados sejam cada vez mais eficazes e eficientes.

Este é o segundo post da série sobre método, no próximo post estaremos conversando sobre as metodologias centradas no usuário e para isso contaremos com as metodologias utilizadas na produção da minha monografia e na do Knabbenn (sócio também do Mova Design).

Muito obrigado pela leitura, se você chegou até aqui, faça um comentário sobre o post e caso precise, nos mande um e-mail que tenho mais algumas referências sobre método e metodologia que podem ajudar em seu projeto (ou se estiver escrevendo tcc, as referencias também vão ajudar!)

Muito obrigado e até a próxima.

 

Referências:

Hipátia

Material e Métodos

CHAMMA, Norberto “Lelé”; PASTORELO, Pedro D. Marcas e sinalização: práticas em design corporativo.

DESCARTES, René. Discurso do Método: Regras para a direção do espírito.

LOBACH, Bernd. Design Industrial: bases para a configuração dos produtos industriais.

MARTINS, Rosane Fonseca de Freitas; MERINO, Eugenio Andrés Diaz. Gestão de Design como estratégia organizacional.

MUNARI, Bruno. Das coisas nascem coisas.

Gostou do que leu?

Cadastre-se para receber novos conteúdos do Blog!


21 anos, co-fundador do MOVA design, técnico em comunicação visual, formado em design gráfico, metódico, racional e curioso. Um pseudo-músico, pseudo-nerd, e atualmente amante do Marketing Digital. Mova-se!
  • Lívia Serrano

    Design é de exatas e não de humanas.

    • meiri born

      oi? poderia justificar pq considera de exatas?

  • meiri born

    Parabéns pelo conteúdo! Gostei muito das suas postagens, já li algumas, agradeço muito por colocar as referências!
    Só não encontrei a data de publicação do post, acho importante, principalmente a longo prazo de existência do blog.

© 2016 Mova Design. Todos os Direitos Reservados.

Top